terça-feira, julho 19, 2011

O novo "velho" Hospital



Em Fevereiro último o Conselho de Governo suspendeu o projecto de construção do novo hospital do Funchal, já depois de um longo processo de expropriações em Santa Rita, optando ao invés por adquirir os terrenos contíguos ao actual hospital Dr. Nélio Mendonça no sentido de ampliar estas instalações e dota-lo de novas valências, incluindo alguns serviços actualmente prestados pelo Hospital dos Marmeleiros.

Na data, tinha deixado a questão no ar, para resposta dos especialistas: era mesmo necessário um novo hospital, construído de raiz, ou que temos serve?

Uma "volta brutal" no Hospital - é assim que Miguel Ferreira caracteriza o resultado das obras já em curso naquela unidade de saúde e que vão, segundo diz, permitir, em vários aspectos, um resultado muito semelhante ao que seria possível atingir com a construção do novo hospital em Santa Rita, só que a um custo inferior.

No entanto, o Grupo de Trabalho para a Saúde na RAM (composto pela Ordem dos Médicos, Ordem dos Enfermeiros, Sindicato Independente dos Médicos, Federação Nacional de Médicos e Sindicato dos Enfermeiros) apresentou ontem um relatório demolidor e sem contemplações para com a decisão do Governo Regional de suspender a construção do novo hospital em Santa Rita, que aponta não só as insuficiências da actual unidade hospitalar, bem como a impossibilidade de vir a ser remodelada por forma a corresponder aos novos parâmetros de engenharia e arquitectura hospitalar e de segurança.

O problema é um: dinheiro. Há projectos de resolução para todos os gostos, quer no parlamento regional (CDS-PP e PCP), quer no nacional (BE), a recomendar ao Governo Regional e ao da República, respectivamente, para que considerem a construção do novo Hospital no âmbito destes projectos, de forma a que receba apoio do Estado, ao abrigo do programa de Projectos de Interesse Comum (PIC). Mas, até à data, que eu tenha conhecimento, o Governo Regional não candidatou o novo hospital da Madeira a PIC, nem as obras do Hospital Nélio Mendonça. E não o parece que vá fazer, mesmo apesar de o executivo liderado por Alberto João Jardim ter acusado o Governo da República de não ter sido solidário e de ser o principal responsável pelo recuo na construção da nova unidade hospitalar. A questão prender-se-á com a necessidade da Madeira ter de suportar parte das despesas. E não havendo dinheiro...

Na verdade, este projecto do novo hospital ou de remodelação do hospital já existente é conversa que data do tempo das "vacas gordas". Mas por opção política nunca avançou, da mesma forma que também não avançou o estádio único para a Madeira ao abrigo do projecto Euro 2004. E quiçá, muito dinheiro poderia ter sido poupando então.

Só o futuro dirá se esta decisão do Governo Regional, quase contra todos, será a medida certa. Só espero é daqui a alguns anos não ser mesmo necessário a construção de uma nova unidade hospitalar...

Enviar um comentário