sexta-feira, fevereiro 06, 2009

Remédios de outros tempos

 
As drogas são hoje, de uma maneira geral, proíbidas - excepto quando em uso para fins estritamente médicos. Mas nem sempre foi assim. Cocaína, morfina e até heroína eram vistos como remédios miraculosos quando foram descobertos. Não só estas substâncias eram perfeitamente legais e permitidas, como os próprios fabricantes de medicamentos proclamavam até ao final do séc. XIX, que os seus produtos tinham estas substâncias.


Deixo-vos com alguma da impressionante "propaganda" médica:


 


Um frasco de heroína da Bayer. Entre 1890 a 1910 a heroína era divulgada como um substituto não viciante da morfina e remédio contra tosse para crianças.



O Vinho Mariani (1865) era o principal vinho de coca do seu tempo. O Papa Leão XIII carregava um frasco de Vinho Mariani consigo e premiou seu criador, Angelo Mariani, com uma medalha de ouro.



Propaganda de heroína da Martin H. Smith Company, de Nova York. A heroína era amplamente usada não apenas como analgésico, mas também como remédio contra asma, tosse e pneumonia. Misturar heroína com glicerina (e comummente açúcar e temperos) tornava o opiáceo amargo mais agradável para a ingestão oral.



Dropes de cocaína para dor de dente (1885) eram populares para crianças. Não apenas acabava com a dor, mas também melhorava o "humor" dos usuários.



Antigamente para aquietar bebês recém-nascidos não era necessário um grande esforço dos pais, mas sim, ópio. Esse frasco de paregórico (sedativo) da Stickney and Poor era uma mistura de ópio de álcool que era distribuída do mesmo modo que os temperos pelos quais a empresa era conhecida. "Dose – [Para crianças com] cinco dias, 3 gotas. Duas semanas, 8 gotas. Cinco anos, 25 gotas. Adultos, uma colher cheia." O produto era muito potente, e continha 46% de álcool.


 
fonte: Hyperscience.com

Enviar um comentário