segunda-feira, dezembro 08, 2008

A minha crónica

 
Escrevi isto ontem. Parecia que estava a adivinhar. Ou não...



A Traição
Data: 07-12-2008


"Acho inadmissível que os madeirenses apoiem as equipas do continente." As palavras são de Lori Sandri, treinador do Marítimo, em vésperas do confronto com o Benfica. Estas palavras não são inocentes. São dirigidas ao seio da alma maritimista. Portugal sempre foi um país de poucos focos e com uma curiosa tendência para o centralismo. Quer pelos naturais êxodos para a capital, quer pela atitude colonizadora que marcou as relações com o ultramar, Madeira incluída. Mas sempre houve quem resistisse a tal tratamento desigual.


Se a Madeira ainda se mantém politicamente rebelde, já o nosso povo se rendeu aos "encantos da sereia" do continente. O melhor exemplo será mesmo a nossa realidade associativa. Onde antigamente brigavam Marítimo, Nacional, União ou Machico hoje foram tomados de assalto pelos "3 grandes". Tanto que hoje existe uma nova espécie de adepto, um híbrido dividido entre clubes. E já é tão natural que o estranho passa a ser aquele que diz ser apenas do Marítimo ou da Camacha. É olhado de soslaio enquanto ouve uma resposta do tipo: "olha que engraçado", como se todos nós fossemos obrigados a engraçar com um dos três estarolas.


Hoje é dia de Maritimo-Benfica. Jogo importante para ambos emblemas. E porque o Marítimo luta por um lugar europeu a pressão do factor casa devia cair sobre o adversário forasteiro. Mas hoje veremos o povo superior a retirar o verde do seu equipamento. Porque ai vem o Benfica. Ignoram-se tradições, cospe-se na história de um pilar da Madeira. Em muito lado isso seria considerado traição à pátria.


PS. O Cristiano Ronaldo lá ganhou mais um prémio. Para mal de invejosos e maldizentes.



fonte: Diário de Notícias

Enviar um comentário