quarta-feira, maio 08, 2013

Um Plenário em "part-time"




Ainda há pouco, o grupo parlamentar do CDS-PP Madeira apresentou, na reunião de lideres, a proposta de realização de mais nove sessões plenárias até ao final do mês de Maio, três por semana, devido à longa ordem de trabalhos da Assembleia Legislativa da Madeira que tem mais de 100 pontos. A proposta foi rejeitada pelo PSD que apenas marcou reuniões para os dias 21, 22 e 23.

Não há justificação - plausível pelo menos - para que a Assembleia Legislativa da Madeira não reuna todas as semanas e, no mínimo, três vezes por semana, um pouco à semelhança do que acontece na Assembleia da República. É incompreensível que, com mais de 100 pontos em agenda, para discussão e votação, e isto sem contar com as urgências que vão entrando a cada sessão, o Plenário apenas se reuna praticamente 4 a 6 vezes por mês, mesmo descontando o trabalho efectuado nas comissões especializadas.

A única conclusão possível é que não há um verdadeiro interesse que aquela casa funcione como deve ser, e que a exclusividade de funções de deputado deverá ser, de uma vez por todas, obrigatória.

Enviar um comentário