sexta-feira, fevereiro 01, 2013

Porque no te callas?




Depois de no passado mês de outubro ter dito que o País «podia aguentar mais austeridade», o presidente do BPI, Fernando Ulrich, continua em grande. Ontem voltou a ter uma declaração, no mínimo, polémica, ao afirmar «Se os sem-abrigo aguentam porque é que nós não aguentamos?».

Mas para não me acusarem de colocar frases fora de contexto, nada como reproduzir a globalidade das declarações de Fernando Ulrich.

Quando os jornalistas lhe voltaram a questionar as afirmações que fez em Outubro do ano passado, particularmente a famosa «Se o país aguenta mais austeridade? Ai aguenta, aguenta!», que muitas críticas públicas lhe valeu, Ulrich tentou explicar o que pretendeu dizer com aquela observação. Assim explicou que: «Se os gregos aguentam uma queda do Produto Interno Bruto de 25 por cento, os portugueses não aguentariam porquê? Somos todos iguais, ou não?». Concretizando: «Se andar aí na rua e infelizmente encontramos pessoas que são sem-abrigo, isso não lhe pode acontecer a si ou a mim, porquê? Isso também nos pode acontecer». E depois acrescentou: «Se as pessoas que vemos ali na rua, naquela situação a sofrer tanto aguentam, porque é que nós não aguentamos?» 

Eu até considero-me uma pessoa sensata e muito pouco dada a este tipo de comentários sobre aquilo que os outros disseram. E, no que concerne ao presidente do BPI, até nem relevei aquilo que ele disse no ano passado. Saiu-lhe mal. Acontece a todos. Mas voltar a cair no mesmo é já um pouco absurdo.

Uma pessoa que ocupa a posição que Fernando Ulrich ocupa não se pode dar a estas coisas. Para já, insiste em utilizar o "nós". Quando pergunta se somos todos iguais, a resposta é não! Infelizmente não somos. Basta dizer que o Sr. Ulrich não está preocupado com o final do mês ou se terá comer para por à mesa da sua família. Bastará dizer que o tratamento que recebe não é igual ao tratamento que recebe o Sr. Manuel que não é presidente de um banco. E os seus "sacrifícios" contam-se entre mais um Porshe, ou menos um Mercedes. E, francamente, que nos compare aos Gregos ainda vá lá... mas aos sem abrigo?!..

E não deixa de ser irónico que estas declarações sejam produzidas durante a conferência de imprensa de apresentação de resultados do BPI. Que, porventura, apresentou um lucro de cerca de 290 milhões de euros. O melhor resultado do banco nos últimos cinco anos. Mas esquece-se que o Governo em 2012 injectou no seu banco cerca de 1,5 mil milhões de euros de dinheiro dos contribuintes portugueses, para que aquela instituição conseguisse ultrapassar os ultrapassar os requisitos de capital exigidos pela autoridade bancária europeia.

Há momentos em que uma pessoa só ganha se estiver calado. Ulrich perdeu uma boa oportunidade.


Enviar um comentário