segunda-feira, janeiro 07, 2013

Sem Portugueses não há Portugal




Não havia, até à data, registo estatístico na Região revelador de um tão baixo número de nascimentos. A contabilização feita pelo DIÁRIO com base no total de crianças nascidas em 2012 no Serviço de Obstetrícia do Hospital Dr. Nélio Mendonça, na Clínica da Sé e na Clínica de Santa Catarina, dá conta de que houve apenas 2.028 nados vivos no ano transacto. (in Diário de Notícias)

Infelizmente não foi só na Região que ocorreu o mais baixo número de sempre de nascimentos. A baixa de natalidade é uma realidade que está a afectar todo o país. Os dados do Instituto Ricardo Jorge revelaram que 2012 foi o pior ano de sempre em nascimento de bebés ao nível nacional, já que se registaram pouco mais de 90 mil nascimentos no ano passado. Em 2011 tinham sido 97.112. Esta foi a terceira vez na história de Portugal que o número de nascimentos ficou abaixo dos 100 mil, e o pior registo de sempre. E tendo em conta a quebra acentuada no número de nascimentos em 2012, tudo leva a crer que a taxa de natalidade que será apurada para este ano será ainda mais baixa do que aquela registada em 2011. Atendendo a todas as conhecidas condicionantes, não há esperança de melhoras em 2013.

Honestamente acho que a crise não pode explicar tudo. Nos tempos idos, em que as pessoas viviam em condições muito piores, viviam menos tempo, a taxa de mortalidade infantil era altíssima, mesmo assim as pessoas tinham filhos em grande número. A insuficiência económica podia ser uma razão mas creio que outros factores pesam mais: a tardia saida dos filhos da casa dos pais; casamentos em idade mais velha; indisponibilidade mental para ter crianças; aumento de homens e mulheres incapazes de gerar uma criança. E acredito que outros factores terão igual peso nesta matéria.

Esta é uma situação gravíssima e, sobre a qual, não vejo qualquer medida a ser tomada em Portugal. Bem pelo contrário. E meus amigos, sem Portugueses não há Portugal!


Enviar um comentário