terça-feira, junho 08, 2010

Reviver a Mocidade Portuguesa

 
(Foto:Irene Pimentel / DR)


Vem aí nova polémica. Mais de 1200 crianças do agrupamento de escolas de Aveiro vão participar, quarta-feira, num projecto escolar destinado a reviver os últimos cem anos da história portuguesa. A iniciativa prevê a participação de um grupo de crianças vestidas com roupas a simular as fardas da Mocidade Portuguesa, o que para o deputado bloquista Pedro Soares, consiste num “revisionismo inaceitável da História”.


Durante a conferência de imprensa de apresentação do evento, a responsável pelo projecto Joaquina Moura garante que a polémica está completamente ultrapassada, e assegurou que “nada neste projecto leva para ideias de fascismo”, adiantando que “as coisas são trabalhadas nas escolas com dignidade e muito sentido de responsabilidade”.


Sobre esta "polémica", transcrevo um comentário à notícia:


« A Organização Nacional Mocidade Portuguesa foi criada pelo Decreto-Lei n.º 26 611, de 19 de Maio de 1936, em cumprimento do disposto na Base XI da Lei n.º 1941, de 19 de Abril de 1936. Pretendia abranger toda a juventude - escolar ou não - e atribuía-se, como fins, estimular o desenvolvimento integral da sua capacidade física, a formação do carácter e a devoção à Pátria, no sentimento da ordem, no gosto da disciplina, no culto dos deveres morais, cívicos e militares. Nunca teve nada de fascista e é pena que muitos destes valores se tenham perdido após o 25 de Abril ».


Não podia concordar mais...

Enviar um comentário