quarta-feira, outubro 11, 2006

Regionalismos...

A propósito do tema que a Luisa propôs no Folhas Soltas, vou partilhar convosco este texto de uma escritora madeirense, e que os alunos do 7º ano tiveram de interpretar numa aula de Português.

Neste trabalho, para além da interpretação normal (escritora, acção, espaço, tempo verbal, etc.), foi pedido aos alunos que identificassem as expressões madeirenses (regionalismos), e que, ao mesmo tempo reescrevessem esses termos madeirenses no português padrão. Será que são capazes? Força.

A mãe do Bertoldinho foi à ribeira lavar roupa e avisou-o:
– Cuida da galinha choca que está no canto da lenha em cima dos ovos. Olha que se ela caminha de lá, os ovos arrefecem e já não nascem os bisalhos.
– Sim senhora, pode ir descansada para a ribeira.
Naquele tempo toda a gente lavava a roupa na ribeira, tinha de ser porque não havia poço em casa.

Acontece que a galinha fugiu e ele decidiu sentar-se em cima dos ovos para eles continuarem quentes. Ora, quando a mãe chegou com a roupa lavada, estavam os ovos todos partidos e o Bertoldinho com o cu das calças amarelo. A mãe deu-lhe uma malha e mandou-o à venda comprar outros ovos. Ele foi e trouxe-os nas algibeiras. Claro que os ovos se partiram. Quando chegou a casa apanhou mais uma malha e a mãe disse «Então, rapaz, isso não se trazia num cesto?»

Doutra vez, a mãe mandou-o à venda buscar cinco tostões de colorau. Ele trouxe o embrulhinho dentro de um cesto de vindima. Quando a mãe viu aquilo disse-lhe «Ah! Rapaz, isso trazia-se mesmo no seio, uma coisa assim tão pequena.»

Vai daí, outro dia a mãe mandou-o comprar um porco.

(In Histórias do Bertoldinho, de Lília Mata)

Tá lindo!!
Enviar um comentário