domingo, junho 18, 2006

O "Eterno Retorno"


Ainda falando no Universo, todos já ouvimos falar no teoria do "Big Bang" como criação de toda a vida. É uma teoria que parte do princípio de Friedmann, onde, enquanto o Universo se expande, a radiação contida e a matéria se esfriam.

Nesta altura é ainda impossível garantir que o Universo continuará a expandir-se infinitamente, levando à desagragação de toda a matéria e à sua morte, ou se eventualmente essa expansão abrandará e se iniciará um processo de condensação.

Esta última hipótese, que sustenta a possibilidade da ocorrência de um fenómeno inverso ao "Big Bang", o "Big Crunch", leva à conclusão de que este Universo poderá ser apenas uma instância distinta, de um conjunto mais vasto, a que outros 'Big Bangs' e 'Big Crunches' deram origem.

Partindo desta hipótese, o filósofo alemão Friedrich Nietzsche, propôs na sua teoria do Eterno Retorno ("Ewige Wiederkunft"), que o Universo e todos os acontecimentos que contém, se repetem ou repetirão eternamente da mesma forma.

O "Eterno Retorno" é um conceito filosófico, em que a vida e todos os conflitos que lhe são inerentes, toda sua tragédia, onde dor e prazer muitas vezes se misturam, é, por Nietzsche, considerada extremamente valiosa justamente por tal multiplicidade, que é vista como uma riqueza. Afirmar a existência implica, portanto, em ser capaz de saborear todas as suas nuances.

Dessa forma, Nietzsche coloca a seguinte questão: se, por acaso, um demônio aparecesse diante de ti, dizendo-te que tudo o que foi por ti vivido será repetido infinitamente, de maneira cíclica, o que você faria?

Se o víssemos como uma benção, significa dizer que mesmo com todas as dores a que podemos estar sujeitos, a vida vale a pena ser vivida e revivida, pela pura intensidade dos raros momentos de prazer. Tal é a visão daquele que é afeito ao jogo, tem sede de lutar, e prazer no combate.

Considerando uma maldição, por outro lado, Nietzsche diria tratar-se de alguém de vontade fraca, ou mesmo incapaz de encontrar "aquilo que lhe dá o mais elevado sentimento", aquilo que o motiva verdadeiramente.

Desta forma, voltando à pergunta formulada por Nietzsche: o que fariam se soubessem que tudo o que haviam vivido e iriam viver, já tinha acontecido e iria ciclicamente voltar a acontecer?

Enviar um comentário