sábado, maio 27, 2006

Rock in Rio Lisboa 2006 - Day 1:


Eramos muitos, muitos! Segundo os jornais e o taxista que nos levou a casa, estiveram cerca de 90 mil pessoas no Parque da Bela Vista.

Este é o meu primeiro "RIR" e tenho-vos que dizer que fiquei impressionado. Com a organização, o tamanho do próprio parque, enfim, com todo o aparato montado. A circulação entre as tendas era fácil e os caminhos estavam bem indicados.

Estava sol e muito calor. Mas ao menos garrafinhas de água abundavam por todo o recinto. O que mais se notava era a muita miudagem, sobretudo raparigas, e boa disposição q.b.

Mas vamos ao que interessa, que é a música. Neste primeiro dia tivemos D'Zrt, Ivete Sangalo, Jamiroquai e Shakira. Se os primeiros pouco interessam (apesar de até terem uma boa postura em palco), todos os outros foram muito bons.

Ivete Sangalo foi aquilo que se espera de uma cantora brasileira. Sempre muito comunicativa, a sua interacção com o público foi sempre muito boa. O seu "set-list" continha alguns dos seus sucessos antigos e uma ou outra música do novo álbum. E o público adorou e acarinhou a baiana.

Shakira foi, mais ou menos, uma surpresa. Embora já soubesse do valor da colombiana, não há nada como confirmar ao vivo. É uma fera de palco, sabe jogar a sua figura e a vantagem de ser poliglota (fala um português-brasileiro perfeito), ajudou a levar um público já de rastos (já eram perto da 1 da manhã), aos derradeiros "tira o pé do chão". E mesmo para quem não goste da música, como tirar os olhos daquela cintura? Excelente!

Para avaliar o concerto do Jamiroquai, só me vem uma palavra à cabeça: fantástico! Mesmo a "meio-gás" (o concerto durou cerca de 1 hora e pouco), pudemos ouvir alguns dos seus sucessos ("Lovefool", "Little L", "Cosmic Girl"), e pude confirmar aquilo que eu já sabia. Jamiroquai é soberbo. Só o trecho final já diz tudo. A versão ao vivo de "Deeper Underground", com que ele encerrou a sua participação, bate à distância à versão do álbum! Que melhor elogio se pode fazer a um artista? Para nunca mais esquecer!

Só uma nota final para a organização: afinal era para o metro estar aberto, ou não? Ficaram milhares de pessoas na rua, à espera de um transporte que aparentemente não chegou. Foi a nódoa, muito negra, que manchou um excelente dia.

Hoje temos Guns n' Roses! Mal posso esperar...

Enviar um comentário