domingo, março 05, 2006

Oscar Night


Hoje é noite de Óscares, os prémios mais importantes da indústria cinematográfica. Na 78ª cerimónia dos Óscares, que como habitualmente, realiza-se em Los Angeles, no Kodak Theater, convergem as maiores estrelas da indústria dos filmes da actualidade.

Este ano para melhor filme concorrem Brokeback Mountain, o polémico filme de Ang Lee, sobre dois "cowboys" homossexuais, Crash, uma visão desassombrada das tensões à flor da pele no impessoal anonimato de Los Angeles, bem como Munique, a revisitação de Steven Spielberg dos acontecimentos que se seguiram ao atentado terrorista contra a delegação israelita aos Jogos Olímpicos de 1972; Capote, que reconstitui a obsessão do escritor Truman Capote pelo crime que está na base do seu romance A Sangue Frio; e finalmente Boa Noite, e Boa Sorte, que recorre a montagens das intervenções do senador Joseph McCarthy para recordar o combate do jornalista Edward R. Murrow à censura do regime.

Com a maioria dos filmes a reflectir muito mais a actualidade da agenda política e mediática e muito menos o mundo da fantasia que alimenta a indústria do cinema, este ano a maior celebração de Hollywood trocou a futilidade do entretenimento pelo reconhecimento do politicamente correcto.

Basta atender aos títulos nomeados para a categoria de melhor filme para perceber a razão de tantas inovações: todos abordam temas políticos e sociais, delicados e controversos, "resgatados" pelo cinema para um debate público concorrente da arena da comunicação social - a intolerância religiosa, xenófoba, racista, sexual ou política e ideológica em que convive a sociedade americana; a corrupção, cinismo e nepotismo que afecta tanto as ditaduras como as democracias, no Ocidente como no Médio Oriente; as razões com que se justificam conflitos e guerras, as de ontem e as de hoje (e aquelas que ainda não se anunciaram).

Quem ganhará? Dentro de algumas horas saberemos...

Enviar um comentário