segunda-feira, dezembro 31, 2012

Adeus 2012, Hello 2013!



Agora que o ano termina, é nosso costume rever os momentos mais altos (ou mais baixos) destes 366 dias que ora findam. Muito se podia dizer e muito foi tópico este ano: desde a crise económica que atingiu contornos absolutamente desastrosos; o "buraco" da Madeira; as manifestações nas ruas da Europa; as catástrofes naturais um pouco por todo o mundo, com destaque local para os incêndios de Julho na zona sul e o temporal de Novembro na costa norte da Madeira; foi o ano em que o dengue foi capa de jornais e revistas; em que se assistiu a mais uma chacina de crianças numa escola americana, enquanto que deste lado do oceano decorria o julgamento de um louco finlandês; os inqualificáveis ataques a jovens mulheres por apenas defenderem o seu direito à educação ou simplesmente o seu direito a ser mulher. Enfim, tudo de um pouco aconteceu no mundo, algumas com nota negativa outras com nota muito positiva.

Mas, para além do mundo onde todos nós convivemos, cada um de nós tem o seu próprio universo, onde se sucedem eventos que transformam a nossa vida. Da minha parte posso vos dizer que muita "coisa" passou. Olhando para trás, vejo que o ano foi preenchido. Profissionalmente e pessoalmente. Poderia destacar a minha nova participação na televisão; ou as viagens que tive a felicidade de poder fazer, a África e à capital da União Europeia; ou as pessoas que partiram ou aquelas novas que entraram na minha vida; ou a qualificação do Marítimo para a Liga Europa; o teatro; os amigos; a união matrimonial de duas pessoas que eu muito estimo e acarinho; a Luísa na JP-M e no Parlamento Regional. Tudo isto é certo, e tudo isto fez parte deste ano que agora termina.

Mas 2012 - e julgo que todos me desculparão - fica para mim marcado por um único evento. O culminar de um "processo" que começou em Paris, a Fevereiro de 2011, formalizou-se em Maio desse mesmo ano, e concretizou-se no dia 8 de Setembro de 2012. Foi, claramente, o passo mais importante da minha vida, com a pessoa que eu escolhi e mais quero na minha vida. Agora, para o futuro de hoje, e para o futuro de amanhã.



É assim a vida. Cheia de esperança e optimismo. Entrarei em 2013 com quem mais estimo e amo nesta terra: a minha mulher, os meus pais e a minha família. Que mais posso pedir para ser feliz?

Enviar um comentário