sexta-feira, novembro 16, 2012

Turismo em queda na Madeira


(campanha promocional "Madeira mesmo aqui ao lado")

Noticia hoje o Diário de Notícias que a Madeira perdeu 47 mil turistas nos primeiros nove meses de 2012, quando comparado com igual período do ano passado, de acordo com os dados revelados pela Direcção Regional de Estatísticas da Madeira.

Em números:
  • As primeiras estimativas da actividade turística relativas ao mês de Setembro de 2012 apontam para uma descida de 3,5% nas dormidas, em relação ao mês homólogo.Em termos absolutos, foram registadas nas unidades hoteleiras da Madeira e Porto Santo cerca de 556,8 milhares de dormidas naquele mês.
  • À excepção das estalagens, que subiram 4,6% e dos hotéis ( mais 0,8%), todos os tipos de estabelecimento apresentaram variações negativas nas dormidas, com maior incidência em termos relativos nas pensões (-22,5%) e nos aldeamentos turísticos (-16,6%).
  • Nos principais mercados emissores, a variação estimada para o mercado alemão foi de +11%, enquanto Reino Unido (-14,9%) e Portugal (-13,1%) apresentaram quebras.
  • Por sua vez, a taxa de ocupação em Setembro de 2012 atingiu os 65,1% e os proveitos totais aproximaram-se dos 25,9 milhões de euros, tendo decrescido 4% em relação a Setembro de 2011, revelam os dados.
  • O RevPar, que mede o proveito obtido por quarto disponível atingiu os 38,15 euros, menos 0,4% do que no mesmo mês do ano anterior.
  • Nestes primeiros três trimestres do ano, entraram na ilha 672.591 hóspedes, o que representa uma quebra de 6,7% em relação a igual período do ano passado.
  • A quebra nas entradas é explicada com uma descida de 17,5% nos hóspedes com residência em Portugal, que totalizaram 145.342 turistas, contra 527.249 estrangeiros, menos 1,2% que um ano antes.
  • Nos primeiros nove meses do ano, as 28.012 camas do arquipélago registaram 4,3 milhões de dormidas, menos 116 mil que um ano antes, o que representou menos 2,6%.
  • Os clientes portugueses foram responsáveis por 498 mil dormidas, menos 19,1% que em igual período do ano anterior.
  • A taxa de ocupação situa-se, no final do terceiro trimestre deste ano, nos 64,5%, mais 6,6 pontos percentuais que um ano antes, com o revpar a subir para os 33,07 euros, mais 1,1%.
  • Nestes primeiros nove meses de 2012, o turismo madeirense registou 198,9 milhões de euros de proveitos totais, menos 1,9%, com a particularidade dos proveitos de aposento terem atingido os 122,7 milhões de euros, menos 800 mil euros que um ano antes (-0,6%).

Estes dados revelam uma situação muitíssimo preocupante para a nossa ilha, já extremamente desgastada pela crise regional e nacional. Adicione-se a situação incontrolável da febre do Dengue, mais as catástrofes naturais que nos têm assolado, mais a grave incapacidade da Secretaria Regional do Turismo e suas delegações em perceber como o mercado do turismo actual se mexe, e temos todos os ingredientes para um cenário bastante negro da economia regional.

De uma vez por todas é necessária uma estratégia global e num planeamento concreto na promoção do Arquipélago. Terá que ser prioridade a preservação da paisagem rural, a recuperação e preservação do património arquitectónico e, ainda mais importante, minimizar a agressão e o impacto negativo que a desenfreada artificialização de espaços construídos nos últimos anos causou na paisagem da ilha.

Há que definir prioridades da promoção turistica da Madeira e Porto Santo, definir alvos estratégicos (que não são agências e companhias, mas sim os destinatários finais das campanhas), melhorar sobremaneira a comunicação para o exterior e, sobretudo, é necessário colocar gente compentente dos lugares certos.

Enviar um comentário