terça-feira, março 31, 2009

Ainda sobre a Selecção

 


"Ontem, o professor Carlos Queiroz talvez tenha pretendido surpreender os suecos, mas julgo que acabou por embasbacar os portugueses. Nenhum indígena estaria à espera que o lateral-esquerdo fosse um extremo, que o trinco e o lateral-direito fossem centrais, e que o ponta-de-lança fosse um médio ofensivo. Os bons treinadores surpreendem o adversário; os excelentes surpreendem a própria equipa.


Sobre o jogo, há que dizer duas coisas. Primeiro, foi um excelente resultado: da última vez que jogámos contra onze jogadores vestidos de azul e amarelo levámos seis. Aqui está um progresso que se saúda. Segundo, a arbitragem foi isenta, o que constitui um escândalo: é raríssimo haver um jogo no Dragão em que a equipa da casa não é beneficiada. É lamentável que a FIFA não respeite tradições ancestrais.


De resto, tudo correu bem. Durante a partida, os comentadores da TVI exibiram aquele chauvinismo a que os jornalistas estão obrigados durante os jogos da Selecção. Destaco a observação segundo a qual os suecos se tinham apresentado com uma formação demasiado defensiva. Enfim, nem todos os treinadores podem ter o arrojo do professor Queiroz, que passou a maior parte do jogo com quatro centrais em campo."


 
"A Chama Imensa" de Ricardo Araújo Pereira (in A Bola de 29 de Março de 2008)

Enviar um comentário