quinta-feira, janeiro 15, 2009

D. José, seu maroto...

 
(clicar para aumentar)


D. José Policarpo, sua Iminência o Cardeal da Igreja Católica Romana, Bispo de Lisboa e Patriarca de Portugal, achou por bem imitar os israelitas e, pronto, toca a largar uma bombinha na praça das religiões. E o que fez o Patriarca? Ou melhor... o que disse. Numa tertúlia no auditório do Casino da Figueira da Foz advertiu as portuguesas para terem “cautela com os amores. Pensem duas vezes em casar com um muçulmano, pensem muito seriamente, é meter-se num monte de sarilhos que nem Alá sabe onde é que acabam.


O resultado foi feridos por todos os lados. Em particular a Comunidade Islâmica de Lisboa, que se diz “magoada” com as palavras de José Policarpo. Os alvos já se manifestaram contra as palavras do Patriarca e afirmam a pés juntos que "é possível ter uma vida feliz entre um católico e um muçulmano". A imprensa internacional, que não queria perder pitada do debate religioso, fez um estardalhaço tão grande destas declarações que obrigou a Conferência Episcopal vir a público garantir que a Igreja "não tem nada contra" casamentos inter-religiosos - como se alguém acreditasse nisso.


Enfim, vá lá que o homem não disse nada contra casar com indigentes (sobretudo com a crise que por aí anda), ou com coxos, ou bêbados, ou desempregados, ou vesgolhos, ou com um coxo, bêbado, desempregado e vesgolho. Aí é que caía o Carmo, a Trindade, Maomé e companhia. Vá lá que não temos por estas bandas nenhum maluquinho com acesso a C-4.

Enviar um comentário