terça-feira, setembro 11, 2007

Game Over para a Britney

Um artista quase que pode ser tudo o que quiser ser. Drogado, conflituoso, alcoólico, boémio, polémico, homossexual, bissexual, trissexual, desde que isso não afecte a sua performance enquanto artista. Desde que a sua arte e o seu génio se mantenham incólumes. E exemplos abundam: Jim Morrison, Freddy Mercury, Robbie Williams, Elvis Presley, John Lennon, Jackson Pollock, a mais recente Amy Winehouse (que anda a fazer jus ao nome). Mas quando o degredo de uma vida começa a afectar o nível do seu trabalho, aí é que a porca torce o rabo.

Os VMA (Video Music Awards) da MTV marcaram o regresso aos palcos da Britney Spears. E pelo que se viu, mais valia ter ficado em casa. Sem energia, redonda, com lentes de contacto azuis e pior, incapaz de seguir sequer o playback, a sua performance foi patética. E isto é dizer pouco de uma artista que aos vinte anos teve o mundo aos seus pés...

(Britney Spears - "Gimme Me" at the MTV VMA 2007)

Enviar um comentário