quarta-feira, junho 13, 2012

O culpado foi o Dingo!




Há coisa de um mês vi um filme sobre uma história em que os pais de uma criança tinham sido condenados pela morte da sua filha bebé. "A cry in the dark" ("Um grito de coragem", em português), de 1988, era o nome do filme, que contava com a Meryl Streep e o Sam Neill nos papeis principais.

A história é de facto inacreditável: Azaria Chamberlain, uma bebé de nove semanas, desapareceu do interior de uma tenda no dia 17 de agosto de 1980, quando a sua família fazia campismo perto de Uluru, zona também conhecida como Ayers Rock, um famoso rochedo vermelho no centro da Austrália, um local considerado sagrado para os aborígenes. Como o corpo da criança nunca foi encontrado as suspeitas de um eventual crime recaíram então sobre a mãe de Azaria, Lindy Chamberlain-Creighton, que chegou inclusive a ser condenada a prisão perpétua pela morte da filha, tendo cumprido alguns anos de prisão, enquanto o pai de Azaria foi condenado por cumplicidade. A defesa era só uma: que a bebé tinha sido levada por um dingo, uma espécie de cão selvagem, muito comum na Austrália. 

Pois bem, 32 anos depois a justiça australiana confirmou a versão de Lindy - que Azaria havia mesmo sido levada por um dingo - e ilibou os pais da bebé, colocando desta forma um ponto final num caso que fascinou e dividiu a Austrália durante as últimas três décadas.

Vão ter de fazer um "director cut" para incluir este final da história.


Já agora, para quem não sabe, isto é um dingo...

Enviar um comentário